O problema das supostas Figuras Públicas!




2017 iniciou-se como o ano da mudança, menos exibição e mais responsabilidade na hora de preservar sua imagem e vida de forma limpa e clara. Houve um grande rebuliço pelo fato de ser o fim da era regida pelo sol, e o início de uma era regida por saturno, onde as coisas são mais responsáveis e sóbrias. 

Bem, ao meu ver,parece que essa era da preservação e da cautela está chegando de uma forma bem devagar, sei que não é da noite para o dia que o jeito de agir das pessoas muda, mas custa chegar ao meio do ano com algum tipo de mudança claramente visível? Em xeque pûs nosso tão amado Instagram onde vidas maravilhosamente perfeitas e corpos esculturais permitem o ganho de uma fama quase que imediata a pessoas que sequer tem algo para oferecer.

Não é difícil achar na rede social, algum cara que tenha transformado seu perfil de pessoal para um comercial com o intuito de se dizer muito importante e querido, são as famosas "Figuras Públicas". Desculpem os inocentes, mas para mim não existe desespero maior do que se auto-afirmar como alguém que influencie outros sem nem mesmo ter um conteúdo relevante que o torne de fato alguém pelo qual outros se interessem.

Não basta ter um abdômen definido, um peitoral farto e com pelos aparados, um queixo quadrado e másculo, se na realidade não passa de um zé ninguém que não instrui os outros de forma positiva. A verdade seja dita, a sociedade está sendo destruída por um falsa ilusão de favoritismo, onde a perfeição é uma total obrigação para que o indivíduo seja aceito perante o chamado "povo".

Perde a pessoa que vive de elogios e massagens em seu ego, perda a pessoa que se inspira nesse falso perfeccionismo, perde a pessoa que olha e se sente um merda diante de um ser tão perfeito, com uma vida tão próspera e invejável. Acho que o futuro não é de pessoas que careçam de um mínimo de relevância, o que pode fazer com que milhões de pessoas supostamente públicas sofram com frustrações severas que possam resultar em doenças como a depressão por falta de aceitação.



O mundo real é um lugar muito cruel, mais até que aquele vilão de filme de terror que deixa você sem dormir a noite com medo até do vento que passa fora da janela, toda essa possível frustração nada mais é que a vida cobrando toda a sua trajetória falsa diante de um mundo 100% que você escolheu não observar. 

Ser relevante vai muito além de um simples abdômen definido ou da quantidade de garrafas de vodka que aparecem na sua foto com os "parças", relevância é saber que suas boas atitudes e talentos ajudaram no progresso da sociedade como um todo. Seja importante pra alguém, instruindo para que esse ser evolua como pessoa, e lá no futuro também se torne relevante para alguém e por aí vai em um ciclo de amor, paixão e responsabilidade. A vida é muito boa para que se aceita e se torna especial por ser ela mesma, apenas viva!

Abraços, Victor!

E se fosse você? Uma análise sobre o sistema carcerário no Brasil.



Neste momento, circula um vídeo nas redes sociais, onde presos aparecem comentando sobre a situação degradante que passam , vivendo em meio a pura insalubridade. O vídeo feito nos moldes "360 graus" foi produzido pela Rede Justiça Criminal e mostra com clareza, a realidade vivida pelas mais de 620 mil pessoas que estão presas no Brasil. 

Longe de mim criar um lado e parecer que estou justificando o ato de um criminoso ou coisa do tipo, estou bem distante de achar que presos merecem regalias como se fosse uma colônia de férias onde eles apenas vão pra passar o tempo. O que eu venho questionar, é o grande número de pessoas que acham que o encarceramento em massa é sinônimo de justiça, como se presos devessem pagar suas penas como se fossem galinhas presas em granjas amontoadas e sendo engordadas para no fim, apenas restar o abate em seu destino.

Cada vez que vejo os comentários de pessoas que se intitulam "Gente de Bem" sobre esse assunto, ou sobre qualquer outro tema que envolva crimes e sentenças, eu fico meio abobalhado com a massa intolerante e violenta que o Brasil vem produzindo ao longo de toda a sua história. É sempre algo como "Bandido bom é bandido morto", "Pena que polícia não fechou, aí seria menos 1 pra assaltar", "Tem que matar mesmo pra não se reproduzir" e por aí vai, em meio a Tags em Caps Lock de "Bolsonaro 2018"...


Fico me perguntando se em algum momento essas pessoas que sentem prazer em disseminar a violência, fazem uma análise de toda a situação. Me questiono se elas antes de sentar o dedo na intolerância, ao menos debatem sobre o tema com imparcialidade e independencia emocional pensante. O que parece é que as supostas "pessoas de bem" que vivem no Brasil, estão se igualando a extremistas que atiram na cabeça antes mesmo de perguntar o motivo do feito.

Não dá pra tapar os olhos e achar que 25 presos em uma cela de 3m X 5m, com uma janela pequena para entrada do sol e circulação de ar é razoável, achar que fazer suas necessidades em uma latrina sem esgotos, dormir em meio a baratas e ratos é aceitável em uma sociedade que se diz evoluida e moderna. A situação de nossos presidiários é muito preocupante e merece atenção imediata, quem está ali cumprindo sua pena, precisa ser assistido de alguma forma. Não dá para achar que só porque a pessoa cometeu um crime, ela tem que pagar dentro de uma jaula sem limpeza e tratamento como se estivesse vivendo em um zoológico abandonado. Estamos falando de seres humanos, de seres humanos.

Existem crimes, e para esses crimes existe a lei que indica a pena para cada nível de desvio de conduta. Mas em momento algum a lei fala que a pena do preso vai além da reclusão e que de alguma forma inclua insalubridade. Temos que entender que se existe a dupla "Lei e Pena", elas devem ser respeitadas por ambas as partes, tanto pelo executor das leis, quanto pelo criminoso que está sofrendo a dureza da pena.

Todas as pessoas que cometem um crime e acabam com uma pena de reclusão, tem esse momento de encarceramento para transformar sua vida e perceber que seus erros tem consequências e que no futuro eles não são algo aceitável para viver em sociedade. O momento que o preso está em uma penitenciária, serve também para que ele faça uma auto análise de toda a sua trajetória como pessoa e assim possa se tornar um ser humano melhor. Mas lembremos que isso só é possível, com medidas concretas de ajuda como trabalho dentro das prisões, alimentação adequada, celas com condições de habitação aceitáveis, programas sociais e educativos que contribuam para a inclusão do indivíduo em um mundo mais claro e correto. Penitenciária não é clube de férias, mas também não é a boca do inferno onde definhar seja uma opção.

Basta olhar para o mundo, sem armaduras, apenas com a consciência limpa e clara e se perguntar "E se fosse comigo?", parece difícil obter essa resposta mas é mais fácil do que se imagina. Se coloque no lugar do outro, tente olhar a situação como se você fosse um personagem daquele momento em específico. E se fosse você? E se fosse seu pai? E se fosse sua mãe?

Já furou fila na cantina da escola?

Já viu que a caixa deu troco a mais e voltou para devolver?

Já roubou chocolate nas Lojas Americanas?

Devolvia o troco sem sua mãe pedir depois de ir a padaria?

Já colocou a culpa de algo que você fez no seu irmão mais novo?

Confira abaixo o vídeo em 360 graus feito pela Rede Justiça Criminal:



Abraços, 

Victor Colares

A vida e amor são fáceis, nós é que complicamos tudo


Amor desprendido, amor roubado, desgastado, desaparecido, as vezes achamos que tudo acontece por um motivo, que tudo tem uma explicação e sempre idealizamos um culpado ou alguma situação para jogarmos toda a responsabilidade, para que nos sintamos menos medíocres, afinal, quem aceita sair de um relacionamento "por baixo"? Ou então, quem aceita ficar numa de "não fode, nem sai de cima" assumindo que está fazendo papel de trouxa?


Estive esses dias pensando em uma lista de motivos pelo qual nós seres pensantes sofremos por amor, pensei nas hipóteses mais doidas que nem mesmo os autores de Gossip Girl poderiam dissertar em seus textos intermináveis, e cheguei a conclusão de que muitas vezes uma relação termina sem motivo, apenas por que terminou. Cheguei no ponto de compreender que as vezes um "não fode, nem sai de cima" é apenas um sinal de que aquele envolvimento chegou em um estágio monótono e escasso de novas vibrações, o que indica que nada além de um bom sexo e uma boa companhia será conquistado. 

Nem sempre teremos aquele choro de dias de uma fossa, que nos faz escutar Oasis por horas no repeat, ou então ver todas as 10 temporadas de Friends, pra ver se aqueles causos pelos quais os personagens passam nos façam sentir melhores. As vezes estamos com tanta paz interior e maturidade que conseguimos entender quando algo é passageiro e quando algo nem é para ser iniciado de fato. Acredite, 90% das vezes é apenas você ganhando experiência para viver esse enorme e difícil mundo. E não falo difícil no sentido da vida ser perversa, mas sim no fato de que os obstáculos que encontramos nos ajudam a ser mais fortes e compreensivos.

Eu estou escrevendo esse texto na sala do último andar da minha casa e olhando por uma enorme janela a cidade se mover lá fora, olhando para os prédios em volta, imaginando como será a vida de cada familia que habita cada unidade dos andares altos e vastos. Quase me esqueço de comentar que estou comendo um bolo de chocolate com brigadeiro, parece comida de fossa mas nem é. É que estou tranquilo comigo mesmo, em paz com meus sentimentos e isso depois de muitas vezes idealizar romances e prosas, depois de muito achar que tudo na vida precisa de uma motivo, de explicação. Hoje eu entendo isso, hoje eu compreendo que as vezes uma tatuagem, é apenas uma tatuagem que você marcou em você só por que gostou e achou fofinho, e se relacionar é basicamente isso. 

As coisa simplesmente acontecem, é o ciclo natural do ser humano. A vida e amor são fáceis, nós é que complicamos tudo. Que tal parar de sempre querer idealizar as coisas e apenas vivê-las? Quer tentar?

Abraços,

Victor.

First Kiss


Pensei muito antes de decidir o assunto da minha primeira matéria de volta ao site, escolhi a dedo o tema pesquisando as coisas mais procuradas em revistas, sites e tals, nichos carentes de ajuda (conteúdo relevante) e até considerei a hipótese de começar um canal no Youtube, mas sinceramente, não nasci para isso.



Em uma das minhas caças por esse mundão que é a internet me deparo com o assunto "Primeiro Beijo", um tema polêmico e que já passou pela vida de todos nós seres humanos normais e vacinados. Nervoso de saber quem é a pessoa certa, quando vai rolar, se vai ser legal. Em geral nós ficamos mais nervosos com o primeiro beijo que com uma resposta de uma vaga de emprego.

Vasculhei e vi muitas matérias, principalmente em revistas famosinhas para adolescentes e simplesmente achei tudo uma grande bosta, e dava muita vontade de falar "Really" na cara do colunista. "16 passos para dar o 1º Beijo perfeito", "Como dar o 1º Beijo" e achei uma matéria onde ensinava adolescentes a "Como transar antes mesmo de dar o 1º beijo" e é claro que eu mudei o título para que nenhum de vocês ache e resolva por em prática atitudes tão repulsivas como as descritas na postagem.

A real é que nada é mais gostoso do que curtir o 1º beijo desde antes mesmo dele acontecer de fato, é um momento muito particular, muito pessoal e que deve ser vivido com naturalidade. Contar pro amigo ou para a amiga que achou alguém maneiro, reparar na pessoa sem ela perceber, e quando a pessoa vê jogar aquela de "é que tinha um bicho voando perto de você" e depois virar super envergonhado e criando mil coisas na cabeça do tipo "ai será que a pessoa reparou, que vergonha!"

o Fato é que as regras de um "1º beijo" não existem. O beijo que muda a nossa vida e marca uma transição de menino para garoto, acontece de forma louca, doida, na hora mais improvável e em geral é muito constrangedora por que em quase 100% das vezes nenhum dos dois tem experiência. Por isso que eu falo que temos que curtir o 1º beijo como se estivessemos chegando em um parque da Disney (quem ja foi vai entender a piada rsrsrs).

As mão suam, as pernas tremem, nossos olhos vibram, a espinha gela, a respiração fica ofegante e o principal, o coração acelera e fica mais rápido que o Hamilton chegando em 1º Lugar em uma final da F1. E acredite isso acontece também com a pessoa que está te beijando, mesmo ela falando que já passou o rodo e "blá blá blá sou garanhão".

Nosso primeiro beijo é um momento na qual ficará guardado na memória pro resto da vida, ele em geral é o estopim para todos os outros relacionamentos, principalmente se for um "first kiss" bem legal, porque vamos querer sentir as mesmas sensações em todo início de todo o relacionamento futuro que tenhamos. É tipo quando comemos um pudim de leite pela primeira vez e sempre que vamos comer um novo pedaço temos aquela expectativa de sentir aquele mesmo gosto como na primeira vez que comemos.

A parada é que não adianta criarmos coisas, e falar pra vocês quando será e detalharmos como acontecerá seu 1º beijo porque não existe uma regra a ser seguida, não existe um lugar certo, nem hora certa, nem nada disso, tudo acontece quando tem que acontecer. É a naturalidade da vida seguindo seu curso como a água segue o leito do rio.

Pra finalizar, eu criei uma lista com algumas coisas que você vai fazer antes de dar seu 1º beijo mesmo sabendo que são inúteis:
  1. - Você vai treinar beijando sua própria boca no espelho
  2. - Você vai escutar que tem que treinar com uma laranja e quando for fazer isso vai se sentir tão idiota que vai rir e depois comer a laranja vendo desenho ou chaves no SBT.
  3. - Você vai treinar beijo com as dobras do braço na altura do cotovelo.
  4. - Você vai treinar com as costas das mãos com se fosse uma boca real.
  5. - Você vai jogar indiretas pra pessoa até perceber que nada daquilo vai adiantar.
  6. - Você vai falar para todos os seus amigos que já pegou todo mundo e quando perguntarem qual foi a pessoa você vai dizer que foi alguém do seu prédio ou curso de inglês.

Enfim amigos, deixem o rio seguir e deem tempo ao tempo, não precisa correr que o momento certo sempre chega!

Abraços, 

Victor! =D

Evento de negócios leva para o Museu do Amanhã um debate sobre o futuro da moda brasileira e seus novos investimentos.



Hoje aconteceu o Casa Rio, uma feira de negócios onde tivemos a oportunidade de bater um papo e fechar parcerias que darão um UP no segmento da moda brasileira, e o local escolhido foi o Museu do Amanhã na Zona Portuária da cidade. Oskar Metsavhat, Carlos Tufvesson, dentre outros grandes nomes da moda brasileira participaram do evento, e é claro que o Garotos Descolados junto com a Casa Bowie esteveram presentes para pode contribuir com essa luta em prol da moda tupiniquim.

(Palestra de Caroline Rush - CEO da British Fashion Council)

(Painel com Oskar Metsavaht, Carlos Tufvesson, Duda Magalhães, Roberta Damasceno, Carla Pinheiro, mediados pela Diretora de Redação da Globo Condé Nast Daniela Falcão)

Eu me inspirei um pouco nas minhas andanças pelo Pinterest para compor o look que usei hoje no Casa Rio:


Peças do Look:
  • Kimono Vazado Preto e Vermelho: Casa Bowie
  • Longline Preta: Casa Bowie
  • Legging Preta: Forever 21
  • Tênis: ST Adidas
  • Bolsa: Comprei da China rs


Até mais! 


Tecnologia do Blogger.