E depois da primeira vez?



Esses dias me perguntaram por inbox no Facebook sobre a atitude dos garotos após perder a virgindade e como isso influenciava na vida deles. Bem, tema um pouco complexo demais, porém foi ótimo e me adiantou um assunto que eu já tinha muita vontade de abordar no blog novamente mas estava esperando o momento certo, e ele apareceu.

É muito difícil falar sobre as atitudes de um homem após ele ter sua primeira relação sexual, complicado no sentido de que a mentalidade dos garotos mudou muito da minha adolescência para a de agora e também por que cada um tem uma realidade e um jeito de ser. Perder a virgindade é sempre um assunto que nos atormenta na adolescência, seja por questões da idade, seja pelo machismo da sociedade que força o homem a ser sempre o machão "comedor" que domina a região ou por outro qualquer. 

Agora falando e me usando como exemplo, posso falar que para mim foi uma etapa de amadurecimento, me senti mais seguro, mais forte e mais sincero comigo mesmo. Não me senti como se tivesse "virado homem", por que para se tornar um homem não basta dar uns beijos na boca e transar 1 ou 2 vezes com alguém, se tornar um homem vai além do sexo e envolve atitudes e maturidades que a maioria dos caras não possuem na média de idade que perdemos a virgindade em geral, entre 15 e 17 anos.

Na minha época de adolescente e isso já tem pelo menos uns 12 anos, eu não sentia uma cobrança pois eu nunca deixei isso se tornar uma obrigação na minha vida, foi totalmente natural. Mas na maioria dos casos, os garotos são muito pressionados, o que faz com que eles tenham uma primeira relação não muito legal o que pode ser um pouco frustrante. Porém, quando feita de forma tranquila e quista, pode ser um grande momento de libertação e de renovação, maturidade e responsabilidade.

Quando digo que o pós-virgindade é meio complexo, falo no sentido de que cada um tem sua realidade, cada um vê o sexo de uma forma. Afinal, antes do primeiro coito da vida apenas fantasiamos suposições, e depois apenas entendemos que ingressamos em um mundo novo e profundo que precisa ser analisado com cautela. Depois da primeira vez, as fantasias que fazemos do momento se tornam realidade e é um mix de sentimentos que só vamos saber como é sentir quando acontecer.


Posso falar que a atitude de cada garoto pós perda da virgindade é de uma relatividade imensa, ele pode ser um cara responsável que vai tratar o assunto com naturalidade ou pode ser um idiota que trata o tema com desleixo e isso não é bom. Sexo é algo particular de cada um, de cada pessoa envolvida no ato, mas sempre lembrando que o sexo não é um tabu e que pode ser discutido com todos, e ter a honestidade de não ser desleixado faz com que o assunto da perda da virgindade ajude aos nossos amigos e parentes a entender melhor a sua posição.

Acredito que a postura correta de um cara pós perda da virgindade é manter a sua particularidade, por que em 99% dos casos a(o) parceira(o) está tendo a primeira relação no mesmo momento e como esse momento é muito especial para os dois, preservar sua intimidade e a do outro é mais que uma atitude correta, é ser respeitoso para com a vida da pessoa que escolheu você para dar esse grande passo na vida. 

A primeira vez, faz muita coisa mudar na cabeça de um garoto, ele passa a ter obrigações e preocupações, como o uso da camisinha que é super importante para evitar as DST's (Doenças Sexualmente Transmissíveis), gravidez precoce, higiene do corpo, entre outros. 


Gente é de total importância que desde a primeira relação sexual se use o preservativo, a camisinha deve ser algo que esteja sempre na mochila ou no bolso se preciso, e caso role um momento de intimidade e nenhuma das duas pessoas envolvidas tiver um preservativo, é hora de parar e deixar para um outro momento onde a camisinha esteja na mão e para dar segurança e proteger para que o sexo seja prazeroso e seguro. Não pode dar molo não, tem que usar camisinha.

Enfim, acho que falei pontos importantes para um primeiro momento da volta do tema sexo ao blog. Estava morrendo de saudade de falar sobre isso com vocês, espero ter ajudado de alguma forma. Lembre-se sempre, precisou de ajuda ou conselho é só chamar nas redes sociais que a gente troca uma ideia sobre o tema.

Abracos,

Victor Colares

A identidade da moda



Como era lindo viver em meio a moda nas décadas anteriores a nossa, como era lindo ver o auge das grandes maisons e o boom das grandes Top's que encantavam a cada ano que passava, quebrando barreiras sem medo de represálias ou boicotes. O mundo vivia tempos áureos, onde a moda era sinônimo de inovação e revolução misturado ao clássico e a liberdade, sem sombra de dúvidas eram tempos de vitórias e de elegância. 

Hoje, em pleno 2017, com toda a globalização e facilidades que o mundo criou na área fashion, vemos a democracia da moda crescer e isso é algo maravilhoso para a sociedade e para que barreiras sejam quebradas e pessoas sejam disponíveis para todos os tipos de mercado. Mas em contrapartida, sinto que algo se perdeu em meio a toda essa conquista fashion, vejo um mundo que está perdendo sua elegância e seu charme. 

Sinto um mix de abandono com a sede de mudar algo a todo custo onde vemos menos identidade e mais uniforme. Posso estar sendo um pouco equivocado talvez, digo até um pouco indelicado, mas dentro de mim existe uma falta de abria os jornais e revistas e ver aquela gente toda na rua com seus look diferentes se afirmando como individuo e mostrando que sua roupa é um reflexo de sua identidade própria, e que podem sim mudar o mundo ao seu redor de tal forma, que essa conquista seja adquirida através de uma individualidade da qual todos nós temos direito. 


Antigamente por exemplo, você andava pelas ruas da boa e velha New York e via na mesma calçada meninas estilo teenager, caras do punk rock com seus moicanos gigantescos e das mais diversas cores, tinha o casal do country, a menina gótica e o mauricinho de pulôver. Era uma mistura de estilos que a muito tempo não temos o prazer de admirar, era uma época onde cada pessoa possuía a sua elegância particular em cada um de seus estilos. 

Acredito que isso seja culpa em grande parte do boom das Fast Fashions e grandes magazines, que transformam as pessoas em massa de manobra pra ganhar mais e mais dinheiro deixando de lado o principal, vender moda. Escutar hoje a frase "está na moda" é o mesmo que escutar "comprou seu uniforme do colégio?". Sinto falta de ver a moda nas ruas como algo revolucionário, de auto afirmação saudável, de ícones, Bowies e Madonnas. Acho que David teve muita sorte ao nascer no século passado e poder nos presentear com sua moda camaleônica e de personalidade. 


Em terra de loucura por likes, de desespero pra comprar peças de roupa sem qualidade apenas pelo nome da marca, em épocas onde o "eu" fala mais do que o nós, acho que precisamos de uma intervenção urgente de algo que revolucione todo o mundo da moda. Sei que nunca mais teremos Bowies, Cher's, Gagas ou Lagerfelds, mas de uma coisa eu tenho certeza, vamos viver em muito pouco tempo uma nova revolução fashionista, onde o mercado será salvo de forma tão extraordinária, que o que se vê hoje cairá por terra. Vamos ser salvos de uma forma tão revolucionaria, que a moda mundana voltará a ser elegante e identificativa, acredito que a moda volta sim a ter seu glamour que tanto vem sendo deixado de lado por grandes nomes do meio, que na verdade nao passam de bundas sujas marketeiros na busca da grana de bobos manobrados loucos por atenção. 

Em pouco tempo poderemos ver novamente punks, clubers, cowboys, hip hopers, e toda a galera que tem uma identidade sua aflorada, de volta as ruas mostrando para o mundo que é possível sim evoluir e revolucionar, de forma limpa, clara e elegante. Relaxa amigos, a moda vai voltar a ser elegante e charmosa. 

Abraços, 

Victor Colares

Sem expectativas, não sou perfeito



Escrevo essa carta pra te pedir calma, apenas calma. Na certa achou que eu pediria desculpas, que imploraria perdão por uma culpa que graças ao universo não tenho, que eu choraria por um remorso que não combina com meu atual momento, gritaria angústias baseadas em erros vazios e que no mundo real, não tem nada de negativo. Desde o começo eu via a vida a dois com liberdade, com apreço e com muita sensibilidade, mas acho que não foi esse o seu caso, né. O que aconteceu? 

Fiquei a noite toda tentando entender o que rolou na sua cabeça para que tivesse tal reação, tal pensamento, o que motivou sua explosão de forma fria e te afastasse de mim. Mil e uma nóias passaram pela minha cabeça, e sim eu me culpei em alguns pontos, mas cheguei em um cruzamento de questões que trouxeram a paz interior ao meu corpo, ao meu espirito. Não é culpa minha se a sua forma de amar faz você ficar cego em meio a um enorme tiroteio de emoções. 

Queria te dizer que não é culpa minha não ser perfeito, não vou pedir desculpas por ser um ser humano que vive a vida de forma feliz e que mesmo em meio a essa felicidade, erra. EU ERRO, NÃO SOU PERFEITO, SOU UM BOBOCA, EU COMETO GAFES, PRONTO FALEI. E agora ficou mais relaxado? Bem eu acho que não, acho que quando nos conhecemos, você criu uma bolha em volta de mim, onde absolutamente tudo que tivesse relação comigo era de uma perfeição sem igual, como se eu fosse um príncipe vindo em um cavalo branco salvar a pessoa amada.


Não sou príncipe, não tenho cavalo branco, nem mesmo carro eu tenho. Não sou aquele cara que acorda de bom humor e posta nas redes sociais uma foto de bom dia com uma mesa de café da manhã linda by novela do Maneco. Não sou aquele que carrega você no colo como se seus pés fossem tão puros que tocá-los no chão te contaminaria com os erros mundanos. Acorda, a vida é muito mais que isso, é muito mais que uma suposta perfeição que você idealiza.

Sabe, quando for me ligar, e se for me ligar, quero que entenda que no momento da conversa, quem estará do outro lado da linha será um ser humano que erra, que comete gafes, que fala palavrão, que solta pum, que arrota, que come no subway e se suja todo, que toma coca-cola e come fandangos deitado no sofá com a barriga estufada. Quando me ligar, entenda que eu vou atravessar a rua no lugar errado, que eu vou gastar meu pacote de dados do celular mais rápido que você, vou pintar o cabelo de azul e logo depois de laranja, vou esquecer de avisar que meus amigos vão pra casa ver filme, vou esquecer que marcamos um jantar, vou contar uma ou outra mentira pra você pra não te falar que sai de casa atrasado para algum compromisso. 

Entenda que eu amo você, mas eu não sou perfeito, vou engordar e emagrecer, minhas estrias vão dizer oi vez ou outra, vou usar uma roupa suja por preguiça de lavar, vou jogar fora comida depois de pegar muito no "kilão" achando que daria pra comer tudo. Entenda que eu não vou saber te dar conselhos em alguns momentos, as vezes fico calado por que te dar meu abraço e meu ombro amigo é o máximo que eu posso naquele momento, queria poder ser um sábio que tem conselhos ótimos para tudo mas eu não sou.

Perceba que a vida é mais completa na imperfeição, ela fica mais linda quando somos apenas seres humanos livre que vivem seus altos e baixos. Talvez você ache que eu sou perfeito como forma de completar seu mundo, como seu eu fosse um tipo de professor, onde minha orientação fará você caminhar na vida de forma certa. Ok amigo, vamos com calma por que não posso te dizer onde fica o caminho de tijolos amarelos que te levará pra um nirvana por que na real nem eu mesmo sei onde fica essa estrada tão incrível.

Só queria te dizer que eu não posso ser a pessoa que você acha que eu sou, por que eu sou só um ser humano fudido que não sabe nada e que sempre vai estar dando com a cara e cometendo erros. Não crie espectativas baseado em achismo, olhe para mim como eu olho pra você, não se levar tanto a sério faz com que cresçamos nesse mundão doido que vivemos. Não posso fazer sua vida 100% perfeita por que nem eu sou, sou um cara ferrado que tenta achar a paz interior e que me faça transcender como ser humano. 

Enfim, espero que você entenda.

E...quer não ser perfeito comigo?

Os curtas do cinema nacional, meu novo vício.



Eu tenho me surpreendido com a minha atitude para com o cinema nacional, quem me conhece sabe o quanto eu sou um fã das películas brazucas dos mais diversos estilos, but, esses últimos dias eu tenho tido uma relação mais próxima e cordial digamos assim. Fui pego de jeito pelos curta-metragens e agora confesso estar 100% viciado, nível virar noites em claro assistindo e ir trabalhar já contando as horas pra chegar em casa e ver mais um novo curta. Cidadania, raças, suspense, romance, drama, LGBT...e por aí vai, vou pesquisando em todos os temas possíveis e cada clique acho um novo que me prende e faz com que eu sinta mais e mais orgulho de nossos talentosos artistas.

Curtas de 5 minutos ou curtas de 45 minutos, curtas independentes ou de grandes produtoras, esse vasto mundo do cinema trás consigo críticas a sociedade e ao mundo de uma forma mais enfática, mas ao mesmo tempo leve e agradável. Me parece que em curtas temos uma maior liberdade na hora de falar sobre temas que na maioria das vezes são blindados nos longas metragens, sinto como se um curta fosse a forma mais forte e fácil de termos voz em uma sociedade tão opressora. 

Recentemente tenho visto curtas com tema LGBT, e não pense que é aquela coisa documentária e cheia de pesquisas, conheci trabalhos onde o tema é aplicado com 100% de normalidade nos filmes, como por exemplo, em uma série de curtas baseados nos livros de William Shakespeare. Outro que vi recentemente falava sobre a violência doméstica, um crime que já é uma doença crônica no nosso país e que precisa ser debatido. 


Particularmente não sou fã dos curtas de comédia, acho que é porque nosso país já tem fama (entre os próprios brasileiros) de "só fazer comédia". Deixo isso pros blockbusters, na hora de ver um curta, procuro conhecer projetos que em sua maioria possuem textos que jamais chegariam ao circuito normal. Acho que vale a pena mesmo entrar no YouTube e começar a caçar sobre essa parte tão linda do cinema. Vai lá, jogue um tema no campo de busca e verá que temos filme curtos cheio de emoção e louros. 

Curtas premiados no Festival de Cannes, Festival de Gramado, vencedores do Leão de Ouro e por ai vai. Nossos diretores e atores merecem nosso apoio e nossos sorrisos, procure sobre eles, vá ao cinema, valorize nossos talentos. Assim o nosso país poderá vencer sempre com uma sociedade que sabe dar valor aos seus filhos.

Abraços, 

Victor!

As 5 melhores Bomber Jackets disponíveis no Brasil.


Em meio a rolês pela rua e voltas nos corredores dos grandes shoppings aqui do Rio de Janeiro, é visível que a queridinha da vez é a famigerada Bomber Jacket que pode ser encontrada nas mais diversas core, formas, estampas e tecidos. Aquela pegada college americana dos anos 70/80/90 que ficou de vez na cabeça dos fashionistas, ao meu ver, continuará em alta por pelos menos mais 18 meses.

Eu poderia ficar horas aqui falando sobre as diversas formas de usar uma bomber, mas ao invés disso, vamos indicar pra vocês onde encontras as melhores BJ's, onde a qualidade e preço justos são os principais materiais que compõem a peça. Não existe mais essa de comprar por que é moda e achar que só por que a marca famosa "x" vende vale super a pena. 2017 tornou-se um ano de consciência, onde o "custo X benefício" traz toda uma maturidade para o consumidor, refletindo em uma grande mudança de pensamento dentro das marcas.

As 5 melhores Bomber Jacket no Brasil:

ADIDDAS


- Bolsos laterais
- Fecho de zíper e gola canelada
- Punhos e barra canelados
- Detalhes com vivo
- Logo Trefoil bordado à esquerda do peito
- Caimento justo

A jaqueta faz parte do programa sustentável da adidas onde os produtos são confeccionados de maneira mais ecológica para tornar o mundo um lugar melhor. Cada fibra conta com algodão orgânico que economiza água e energia, além de reduzir a utilização de produtos químicos. O valor da jaqueta é de R$ 179.


RIACHUELO


A Jaqueta Bomber Geométrica é confeccionada em algodão. Inspiradas nos casacos de pilotos de avião da Primeira Guerra Mundial, as jaquetas bomber entraram com tudo nos guarda-roupas tanto femininos quanto masculinos.Possui mangas longas, fechamento por zíper no entremeio e motivo geométrico compondo a peça. Ideal para um visual moderno e urbano, combine com camiseta lisa e sarja. A jaqueta pode ser encontrada em todas as lojas por R$ 119.90.

C&A


Jaqueta desenvolvida em tecido plano de toque seco. O destaque deste modelo são os bordados com estilo oriental. A parte frontal tem dois bolsos decorativos. O fechamento é feito por zíper. Possui forro em tecido plano, composição: 100% Poliéster. Essa jaqueta era a peça que faltava no seu look e pode ser encontrada nas lojas por R$ 239,99.

RESERVA


Jaqueta bomber em tecido 100% ALGODÃO algodão com beneficiamento de poliuretano, o que dá um aspecto emborrachado ao tecido. Possui ribanas nos punhos, gola e na barra para proteger a entrada do frio. Pode ser encontrada das lojas da Reserva e seu valor é de R$ 699.

ELLUS


Jaqueta estilo bomber dupla face com costura em matelassê, gola, punho e barra em malha canelada. Possui fechamento frontal através de botão de pressão. Esta é uma peça extremamente versátil, já que pode ser usada dos dois lados. Composta por 100% poliéster com parte interna em 95% algodão e 05% elastano. Você encontra a peça nas lojas da marca e seu valor é de R$ 1.100.

Muitos podem achar um ou outro preços elevados, mas a intenção desta postagem é mostrar pra vocês que uma compra vai muito além de preço, afinal, sabemos que o barato sempre sai caro e a ilusão de que o caro vale a pena é pura burrice! Escolhi essas 5 marcas por que são referência em qualidade e preço, modernidade e estilo.

Abraços, 

Victor!!

O problema das supostas Figuras Públicas!




2017 iniciou-se como o ano da mudança, menos exibição e mais responsabilidade na hora de preservar sua imagem e vida de forma limpa e clara. Houve um grande rebuliço pelo fato de ser o fim da era regida pelo sol, e o início de uma era regida por saturno, onde as coisas são mais responsáveis e sóbrias. 

Bem, ao meu ver,parece que essa era da preservação e da cautela está chegando de uma forma bem devagar, sei que não é da noite para o dia que o jeito de agir das pessoas muda, mas custa chegar ao meio do ano com algum tipo de mudança claramente visível? Em xeque pûs nosso tão amado Instagram onde vidas maravilhosamente perfeitas e corpos esculturais permitem o ganho de uma fama quase que imediata a pessoas que sequer tem algo para oferecer.

Não é difícil achar na rede social, algum cara que tenha transformado seu perfil de pessoal para um comercial com o intuito de se dizer muito importante e querido, são as famosas "Figuras Públicas". Desculpem os inocentes, mas para mim não existe desespero maior do que se auto-afirmar como alguém que influencie outros sem nem mesmo ter um conteúdo relevante que o torne de fato alguém pelo qual outros se interessem.

Não basta ter um abdômen definido, um peitoral farto e com pelos aparados, um queixo quadrado e másculo, se na realidade não passa de um zé ninguém que não instrui os outros de forma positiva. A verdade seja dita, a sociedade está sendo destruída por um falsa ilusão de favoritismo, onde a perfeição é uma total obrigação para que o indivíduo seja aceito perante o chamado "povo".

Perde a pessoa que vive de elogios e massagens em seu ego, perda a pessoa que se inspira nesse falso perfeccionismo, perde a pessoa que olha e se sente um merda diante de um ser tão perfeito, com uma vida tão próspera e invejável. Acho que o futuro não é de pessoas que careçam de um mínimo de relevância, o que pode fazer com que milhões de pessoas supostamente públicas sofram com frustrações severas que possam resultar em doenças como a depressão por falta de aceitação.



O mundo real é um lugar muito cruel, mais até que aquele vilão de filme de terror que deixa você sem dormir a noite com medo até do vento que passa fora da janela, toda essa possível frustração nada mais é que a vida cobrando toda a sua trajetória falsa diante de um mundo 100% que você escolheu não observar. 

Ser relevante vai muito além de um simples abdômen definido ou da quantidade de garrafas de vodka que aparecem na sua foto com os "parças", relevância é saber que suas boas atitudes e talentos ajudaram no progresso da sociedade como um todo. Seja importante pra alguém, instruindo para que esse ser evolua como pessoa, e lá no futuro também se torne relevante para alguém e por aí vai em um ciclo de amor, paixão e responsabilidade. A vida é muito boa para que se aceita e se torna especial por ser ela mesma, apenas viva!

Abraços, Victor!

E se fosse você? Uma análise sobre o sistema carcerário no Brasil.



Neste momento, circula um vídeo nas redes sociais, onde presos aparecem comentando sobre a situação degradante que passam , vivendo em meio a pura insalubridade. O vídeo feito nos moldes "360 graus" foi produzido pela Rede Justiça Criminal e mostra com clareza, a realidade vivida pelas mais de 620 mil pessoas que estão presas no Brasil. 

Longe de mim criar um lado e parecer que estou justificando o ato de um criminoso ou coisa do tipo, estou bem distante de achar que presos merecem regalias como se fosse uma colônia de férias onde eles apenas vão pra passar o tempo. O que eu venho questionar, é o grande número de pessoas que acham que o encarceramento em massa é sinônimo de justiça, como se presos devessem pagar suas penas como se fossem galinhas presas em granjas amontoadas e sendo engordadas para no fim, apenas restar o abate em seu destino.

Cada vez que vejo os comentários de pessoas que se intitulam "Gente de Bem" sobre esse assunto, ou sobre qualquer outro tema que envolva crimes e sentenças, eu fico meio abobalhado com a massa intolerante e violenta que o Brasil vem produzindo ao longo de toda a sua história. É sempre algo como "Bandido bom é bandido morto", "Pena que polícia não fechou, aí seria menos 1 pra assaltar", "Tem que matar mesmo pra não se reproduzir" e por aí vai, em meio a Tags em Caps Lock de "Bolsonaro 2018"...


Fico me perguntando se em algum momento essas pessoas que sentem prazer em disseminar a violência, fazem uma análise de toda a situação. Me questiono se elas antes de sentar o dedo na intolerância, ao menos debatem sobre o tema com imparcialidade e independencia emocional pensante. O que parece é que as supostas "pessoas de bem" que vivem no Brasil, estão se igualando a extremistas que atiram na cabeça antes mesmo de perguntar o motivo do feito.

Não dá pra tapar os olhos e achar que 25 presos em uma cela de 3m X 5m, com uma janela pequena para entrada do sol e circulação de ar é razoável, achar que fazer suas necessidades em uma latrina sem esgotos, dormir em meio a baratas e ratos é aceitável em uma sociedade que se diz evoluida e moderna. A situação de nossos presidiários é muito preocupante e merece atenção imediata, quem está ali cumprindo sua pena, precisa ser assistido de alguma forma. Não dá para achar que só porque a pessoa cometeu um crime, ela tem que pagar dentro de uma jaula sem limpeza e tratamento como se estivesse vivendo em um zoológico abandonado. Estamos falando de seres humanos, de seres humanos.

Existem crimes, e para esses crimes existe a lei que indica a pena para cada nível de desvio de conduta. Mas em momento algum a lei fala que a pena do preso vai além da reclusão e que de alguma forma inclua insalubridade. Temos que entender que se existe a dupla "Lei e Pena", elas devem ser respeitadas por ambas as partes, tanto pelo executor das leis, quanto pelo criminoso que está sofrendo a dureza da pena.

Todas as pessoas que cometem um crime e acabam com uma pena de reclusão, tem esse momento de encarceramento para transformar sua vida e perceber que seus erros tem consequências e que no futuro eles não são algo aceitável para viver em sociedade. O momento que o preso está em uma penitenciária, serve também para que ele faça uma auto análise de toda a sua trajetória como pessoa e assim possa se tornar um ser humano melhor. Mas lembremos que isso só é possível, com medidas concretas de ajuda como trabalho dentro das prisões, alimentação adequada, celas com condições de habitação aceitáveis, programas sociais e educativos que contribuam para a inclusão do indivíduo em um mundo mais claro e correto. Penitenciária não é clube de férias, mas também não é a boca do inferno onde definhar seja uma opção.

Basta olhar para o mundo, sem armaduras, apenas com a consciência limpa e clara e se perguntar "E se fosse comigo?", parece difícil obter essa resposta mas é mais fácil do que se imagina. Se coloque no lugar do outro, tente olhar a situação como se você fosse um personagem daquele momento em específico. E se fosse você? E se fosse seu pai? E se fosse sua mãe?

Já furou fila na cantina da escola?

Já viu que a caixa deu troco a mais e voltou para devolver?

Já roubou chocolate nas Lojas Americanas?

Devolvia o troco sem sua mãe pedir depois de ir a padaria?

Já colocou a culpa de algo que você fez no seu irmão mais novo?

Confira abaixo o vídeo em 360 graus feito pela Rede Justiça Criminal:



Abraços, 

Victor Colares
Tecnologia do Blogger.